A vacinação contra a covid-19 no mundo

Madonna amplifica críticas à “ditadura Zuckerberg”

As novas políticas de privacidade do Instagram tratam abertamente sobre o compartilhamento de informações entre as empresas do Facebook. Usuários estranham tamanha transparência.
Livraria Indigital
Imagem: Glen Carrie, via Unsplash

A partir de amanhã, as novas políticas de vigilância cibernética do Instagram permitem que Mark Zuckerberg espione você e sua família, roube seus segredos mais íntimos e monitore sua conformidade com as ordens do governo em todos os seus dispositivos – incluindo sua televisão – e venda seus dados para o governo e a indústria ou punir você por desobediência“, escreve a diva pop em um post na rede social, seguida da hashtag #dictatorship (ditadura).

Novas políticas de privacidade do Instagram a partir de hoje

Já sabemos que o Facebook usa a localização das pessoas mesmo quando elas optam por não compartilhar. Grande parte da controvérsia da vez está relacionada aos novos termos de privacidade do Instagram, com muitas pessoas argumentando que não têm mais privacidade ao usar o aplicativo. Pessoas no Twitter, por exemplo, sugerem que os novos termos permitem que o Instagram visualize e analise coisas por meio da câmera frontal, copie sua agenda, registro de chamadas e histórico de SMS e colete informações de tudo o que você pesquisa no site.

Sabemos que somos vigiados e informações são compartilhadas, mas as empresas não eram claras sobre isso até agora“, diz uma usuária no Twitter.

Outra coisa percebida por usuários do Twitter que fazem coro às críticas foi o fato de que “você não pode usar um nome de domínio ou URL em seu nome de usuário sem consentimento prévio por escrito”. Se o seu nome de usuário for igual ao seu nome de domínio, isso pode levar à desativação da sua conta, o que pode afetar muitos criadores de conteúdo online.

Parece que as regras do Instagram sobre nudez e conteúdo explícito foram tornadas mais rígidas também. No entanto, muitas pessoas estão reclamando que as regras de censura agora são muito rígidas, fazendo com que o conteúdo seja removido e considerado “inapropriado” desnecessariamente.

As novas regras também afirmam que se a conta de alguém já foi desativada uma vez, o Instagram tem permissão para desativá-la novamente sem motivo, o que pode fazer com que muitos dos criadores favoritos do Instagram sejam banidos do site para sempre.

As batalhas judiciais

Alvo de dois diferentes processos nos EUA, movidos pela Comissão Federal do Comércio (FTC) e por uma coalizão de advogados-gerais de mais de 40 Estados, o Facebook se prepara para enfrentar a maior batalha judicial de sua história nos próximos anos. Acusado de se favorecer de seu poder para afetar a competição de rivais, comprando-os ou copiando-os, ferindo leis de concorrência nos EUA, a empresa pode ter diversos cenários nos próximos anos – incluindo ter de se separar de Instagram e WhatsApp, suas duas joias da coroa.

Como as novas políticas de privacidade do Instagram beneficiam Mark Zuckerberg

Reprodução: Facebook

Sem nenhuma acusação criminal no processo, não há incentivo para que o Facebook faça um acordo“, diz George Hay, professor de antitruste da Universidade Cornell e consultado pela agência Reuters sobre o assunto. Ele diz ainda que prevê que o caso leve anos para ser resolvido.

Não há um vencedor óbvio. Tudo o que o Facebook faz é aberto e acontece há 15 anos. Eles nunca fizeram nada sem consultar seu time de advogados”, diz o especialista. No entanto, há precedentes para acordos: em vez de ser investigado por suas práticas de privacidade, o Facebook pagou US$ 5 bilhões em um acordo com a FTC no ano passado. Para muita gente, saiu barato.

Receba Vida Indigital por e-mail