A vacinação contra a covid-19 no mundo

Facebook derruba 487 contas ligadas à desinformação em cinco países

Perfis ligados ao presidente Jair Bolsonaro foram derrubados pelo Facebook no mesmo dia em que a rede social também derrubou contas ligadas ao lobista republicano Roger Stone - que deve ir preso (por outros crimes) na próxima semana.
Livraria Indigital
Foto: Cornelius O'Donoghue, Shutterstock

O Facebook anunciou hoje que removeu quatro redes responsáveis por violar “a política contra interferência estrangeira e coordenação de comportamentos não-autênticos“, diz o post de Nathaniel Gleicher, chefe de política de segurança, no site da empresa.

As redes derrubadas tinham origem no Canadá, Equador, Brasil, Ucrânia e Estados Unidos. Juntas, atingiam uma audiência de mais de três milhões de usuários.

Contas removidas pelo FacebookBrasilEUACanadá e EquadorUcrânia
Contas + páginas + grupos50104115107
Contas no Instagram3845613
Audiência*1.800.000320.000274.000770.000
Gastos com anúncios$1.500$308.000$1.380.000$1.930.000
*soma dos seguidores das páginas e perfis removidos em 8 de julho.

Valor total em anúncios: US$ 3.164.000

No Brasil

O Facebook anunciou a remoção de uma rede de 88 contas ligadas à disseminação de informações falsas no Brasil com vínculos com o presidente Jair Bolsonaro. A rede consistia em 50 contas, páginas e grupos do Facebook e 38 contas do Instagram. As páginas do Facebook eram seguidas por 883.000 contas, e 917.000 usuários seguiam as contas do Instagram.

A maior parte da atividade que removemos hoje se concentrava no público interno de cada país e estava vinculada a entidades comerciais e indivíduos associados a campanhas políticas e escritórios políticos“, diz o comunidado.

A rede de contas, páginas e grupos de funcionários do presidente inclui gente ligada aos filhos Flávio e Eduardo Bolsonaro, além de deputados do PSL. As páginas eram administradas por contas falsas e também realizavam spam.

Nos EUA, Roger Stone, o lobista republicano amigo de Trump, deve ir preso na próxima semana.

O aliado de Trump foi condenado em fevereiro por ter mentido para o Congresso, por ter ameaçado uma testemunha e obstruído uma investigação. Um juiz federal ordenou nesta quarta-feira (8) que Roger Stone deve se apresentar em um presídio no dia 14 de julho para começar a cumprir a sentença.

As acusações foram apresentadas por um grande júri como parte da investigação do ex-advogado especial Robert Mueller sobre a interferência russa nas eleições presidenciais de 2016.

O Facebook começou a investigar a rede de Roger Stone como parte de uma investigação sobre os esforços do grupo de extrema-direita Proud Boys de retornar ao Facebook depois de ter sido banido do serviço em 2018.

Outras remoções

Em comunicado, a empresa relata que removeu 41 contas do Facebook, 77 páginas e 56 contas do Instagram fora das políticas da empresa e com origem no Canadá e no Equador, porém, essas redes eram focadas em públicos-alvo em países como El Salvador, Argentina, Uruguai, Venezuela, Equador e Chile.

Também foram removidas 72 contas do Facebook, 35 páginas e 13 contas do Instagram envolvidas em um comportamento não-autêntico coordenado na Ucrânia, focado no público doméstico“.

Receba Vida indigital por e-mail 1x por semana