O mapa mundial da vacinação contra a covid

Alguns anunciantes “dão um tempo” dos anúncios no Facebook

Desde que Mark Zuckerberg defendeu a autonomia da plataforma em relação às postagens do presidente Trump que continham informações errôneas ou promoveram violência, algumas empresas estão cancelando verbas de marketing direcionadas a anúncios no Facebook.

O Facebook gera 98% da receita através de anúncios. A empresa faturou US$ 17,4 bilhões em publicidade no último trimestre. A pandemia afetou as vendas de publicidade em geral, e algumas empresas ainda estão sendo “incrivelmente afetadas“, disse Carolyn Everson, vice-presidente de soluções globais de marketing do Facebook, ao jornal The New York Times. A ação orgânica e espontânea Blackout Tuesday “realmente teve um papel muito significativo em nossas plataformas“, acrescentou Everson, com centenas de empresas interrompendo os gastos em anúncios.

Everson, a executiva do Facebook que lida com profissionais de marketing, disse que nunca havia trabalhado mais de perto com Zuckerberg do que na semana passada. Ela reconheceu que a decisão da empresa sobre as declarações de mídia social de Trump “não é uma decisão que todos concordam ser uma decisão perfeita“.

Desde então, a receita publicitária se recuperou, disse ela, embora várias empresas demorem a retornar enquanto ajustam suas mensagens. Nike, Anheuser-Busch e outros reduziram seus gastos diários no Facebook e Instagram em mais de US$ 100.000 no início de junho, de acordo com a plataforma de análise de publicidade Pathmatics.

Na semana passada, a Braze, uma empresa de software em Nova York, retirou uma campanha publicitária no Facebook que havia planejado para o fim do verão nos EUA, avaliada em cerca de US$ 60.000. A diretora de marketing, Sara Spivey, disse que a decisão do Facebook de deixar as declarações presidenciais faz parte da decisão.

O Facebook é a maior plataforma de publicação do mundo, então é claro que queremos estar nele“, disse Spivey. “Mas a grande questão é a responsabilidade do Facebook de tornar sua plataforma segura e se queremos estar associados a ela“.

A campanha de Trump gastou mais de US$ 2,8 milhões em publicidade na plataforma no mês passado, de acordo com a Advertising Analytics, uma empresa de rastreamento de mídia. Combinada com os gastos do Comitê Trump Make America Great Again, em esforço conjunto com o Comitê Nacional Republicano, a equipe de reeleição do presidente foi o 10º maior anunciante no Facebook, atrás da Samsung, Microsoft e da Walt Disney Company, de acordo com a Pathmatics.

Nima Gardideh, co-fundadora de uma agência de publicidade digital, incentivou os clientes a reter milhões de dólares em publicidade do Facebook.

Na noite de sexta-feira, ela enviou uma nota pessoal aos principais anunciantes, anexada a um longo post público de Zuckerberg que prometeu revisar algumas das políticas do Facebook. Ela disse que a maioria de suas discussões com clientes agora se concentra nos esforços para desmantelar a desigualdade racial sistêmica nas empresas.

99,9% da conversa se afastou da decisão sobre o post de Trump“, disse ela. “Na verdade, minimizaria a importância desse momento histórico se focássemos apenas em um post do presidente Trump“.

“Moralmente impossível”

“A coisa moralmente correta a se fazer, claro, é ficar do lado certo, mas é difícil: os anúncios do Facebook estão mantendo pequenas empresas vivas. Se você não está no Facebook, você não existe”

Lutchi Gayot, pequeno empresário e candidato ao Congresso pelo estado de NY

Assine grátis a nossa newsletter semanal

* indicates required

Por favor, marque abaixo que você concorda em receber os nossos e-mails:

Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento clicando no link no rodapé dos nossos e-mails. Para informações sobre privacidade e cookies, consulte a nossa Política de Privacidade.

We use Mailchimp as our marketing platform. By clicking below to subscribe, you acknowledge that your information will be transferred to Mailchimp for processing. Learn more about Mailchimp’s privacy practices here.