O mapa mundial da vacinação contra a covid

“Laranjas do bem”: doe o cashback de fintechs para quem mais precisa

Livraria Indigital
Foto: shadi rahmati, Unsplash

Ao pagar um boleto de 30 reais pelo PicPay, minha mãe e eu ganhamos R$ 20 – ela ganhou R$ 10 por ter usado meu código, e eu, outros R$ 10 por tê-la indicado.

O boleto seria pago de qualquer forma, então resolvi aproveitar meu código do PicPay para enviar um convite para ela. Com o celular dela, fiz tudo: baixei o app, cadastrei meu código promocional no PicPay dela e fiz o pagamento. Afinal, ela tem 70 anos e levaria horas para fazer algo que pude fazer em poucos minutos.

Minha mãe consentiu em ser minha laranja do bem

Isto nos rendeu R$ 20 do nada e, como por aqui estamos todos bem alimentados, fiz um cálculo simples: se 100 pessoas fizessem isso, seriam R$ 2.000 gerados em bônus sem que nenhum centavo tenha sido gasto além do boleto*.

Se 1.000 pessoas convidarem outras 1.000, seriam R$ 20.000.

Se 5.000 pessoas pagarem um boletinho através do PicPay de um laranja do bem, são R$ 100 mil! E o melhor: sabe de onde vem esse dinheiro? Daqueles bancões e fundos de investimento que patrocinam os delírios de marketing das fintechs.

Sabe para quem essa grana faz toda a diferença agora?

A Central Única das Favelas usa o app do PicPay para receber doações

Estar em isolamento é privilégio

Digamos que você também seja uma pessoa que está em casa cuidando dos seus próprios pais idosos, ou é uma pessoa aflita por querer fazer mais para dividir com quem mais precisa nesta pandemia, mas não tem grana ou não sabe como.

Minigolpe do bem: fuck the system

Antes de tudo, isto não é golpe nem ilegal: fintechs como o PicPay remuneram qualquer pessoa com créditos para você divulgá-las, aumentando a base de clientes. E aqui explico o *asterisco lá de cima: você paga 2,99% de taxa para pagar o seu boleto com cartão de crédito. No caso do boleto de R$ 30 que mencionei, a taxa foi de R$ 0,90. Financeiramente, saímos ‘ganhando’ R$ 19,10.

Está com tempo livre e quer ajudar?

Convença alguém próximo. Se estiver no sofá de casa sem ter o que fazer, pegue o celular do seu irmão, irmã, filho, cunhada, tia – e faça uma conta no PicPay. Além desse bônus, você pode ganhar outros créditos e usá-los, mas lembre-se: se você tem um telhado, comida na geladeira e parentes com quem possa contar, mesmo com dívidas e boletos vencidos, você é uma pessoa privilegiada sim. O mundo não vai ser igual depois dessa pandemia, aliás, já mudou radicalmente.

O bug é não doar

Se você ainda não tem PicPay, use o código de um(a) conhecido(a) para ganhar os primeiros R$ 10 na sua conta. Se não conhece ninguém que já tenha o app, você pode usar o meu código (acima): prometo doar cada centavo gerado dos novos cadastros. Postarei aqui.

Participe da #correntedobem dos #laranjasdobem! Divulge, compartilhe 😉 Se ficar com dúvidas, fale com a gente:

Insira o seu endereço de e-mail
Escreva aqui a sua mensagem, responderemos em breve! *campos obrigatórios
Tiago O. Dias
Tiago é jornalista e escreve sobre tecnologia, política e desafios sociais contemporâneos. Trabalhou mais de 10 anos no varejo e no e-commerce de livros nacionais e importados. Atualmente cursa especialização em Ciências Humanas na PUCRS e Ciência Política no IERGS.