O mapa mundial da vacinação contra a covid

A resistência não-violenta é mais eficaz contra regimes autoritários?

O ambientalista Bill McKibben, em coluna na revista The New Yorker, se diz impressionado com o clima pacífico das manifestações contra a violência policial em um cenário social tão adverso.
Livraria Indigital
Foto: Oleksandr Polonskyi, Shutterstock

Estudos sobre resistência a regimes autoritários mostraram que a não-violência é muito mais poderosa que a revolução violenta, e não é necessária a participação de todos para torná-la eficaz. Segundo o jornalista e ambientalista Bill McKibben em coluna na revista New Yorker, o professor de ciências políticas Gene Sharp se mantém uma referência na luta não-violenta contra governos extremistas.

Gene Sharp

Os quase duzentos “métodos de ação não-violenta” catalogados por Gene Sharp fornecem um manual de resistência, caso o presidente se torne um tirano total.

Bill McKibben

Poder, Luta e Defesa (PDF), Gene Sharp

Desobediência Civil

McKibben fala sobre desobediência civil e seus usos em estados autoritários. “Se você vive uma vida, como os americanos negros claramente fazem, em que um policial poderia matá-lo por ter passado uma nota falsificada de vinte dólares, ou se você vive uma vida em que a incompetência dos líderes da nação ajudou a precipitar uma crise econômica isso deixou você sem emprego e sem perspectiva de emprego – bem, fiquei impressionado com o quão pacífica a grande maioria das pessoas nas ruas tem sido“, afirma.

Bill McKibben

Se Bolsonaro ou Trump, de fato, conseguirem governar com tirania, não demoraria muito até as técnicas de Gene Sharp serem necessárias. Sobre o presidente Donald Trump, o colunista diz:

É difícil saber como é exatamente um golpe se o líder já é o presidente. Tente imaginar tropas ordenadas a fazer rondas ao vivo em vez de balas de borracha, sem mídias sociais para falar sobre isso e a Fox News como o única concessão pública de TV aberta“.

Alguma semelhança?

Parece um exagero, mas essas coisas são comuns em muitas partes do mundo. Se Bolsonaro desse o golpe final na democracia, os brasileiros estariam em uma situação difícil: submeter-se a essa regra ou enfrentá-la. “É aí que entra a resistência civil“, segundo McKibben.

Passei boa parte da minha vida adulta organizando um certo tipo de ação não-violenta – estive algemado mais vezes do que poderia imaginar – e teve algum efeito real nos caminhos dos oleodutos e no fluxo do dinheiro.

Bill McKibben

Alguns tipos de resistência não-violenta são privilégios de brancos

Se você é preto, enfrentar munições reais já é uma realidade no Brasil e nos EUA. “O tipo de desobediência civil que sei praticar acontece em uma sociedade relativamente aberta em que vivemos e é muito mais difícil para pessoas negras“, conta. “Gene Sharp, que morreu há dois invernos, aos noventa anos, catalogou e explicou todos os “métodos de ação não violenta” que as pessoas usavam para se defender da tirania“.

Quase 200 métodos de Gene Sharp

A maioria deles sugere coisas que poderiam ser tentadas agora: greves, silêncio, boicotes seletivos, greves de estudantes, greves selvagens. Alguns foram dificultados pela pandemia (é difícil ficar longe de eventos esportivos e culturais, se não houver nenhum), e alguns foram facilitados (as pessoas já estão experimentando greves de aluguel em muitas cidades). Sit-ins estão na lista (e stand-ins, wade-ins, mill-ins, pray-ins); assim como mercados e sistemas de transporte alternativos, a “sobrecarga de sistemas administrativos” e jejuns.

Contribuição contemporânea

Como mostrou a pesquisadora de Harvard Erica Chenoweth, menos de 5% da população envolvida em resistência costuma ser suficiente para causar grandes mudanças no zeitgeist e dificultar muito a autoridade ilegítima de governar.

Isso não significa que é fácil para os 5% que participam. O fato de alguém agir sem violência não garante uma resposta não violenta – na verdade, a história indica que muitas vezes acontece o contrário.

Passe algum tempo com a lista de Sharp. Pode ser útil – em breve.

Bill McKibben

Faça o download de Poder, Luta e Defesa (PDF), de Gene Sharp, aqui.

Receba Vida Indigital 1x por semana, por e-mail: